Data comemorativa deu visibilidade aos ciganos e quebra preconceito

“Graças a esse dia, o povo cigano ganhou mais visibilidade e a divulgação da cultura ajuda a combater o preconceito que ainda é muito grande em relação aos ciganos”, relata a cigana Nilva Rodrigues Cunha, 58, uma das homenageadas no projeto “Calin”. Dia 24 de maio é o Dia Nacional do Cigano.

O projeto é uma homenagem às mulheres ciganas e será lançado em 24 de maio. Idealizado pela Associação Estadual das Etnias Ciganas de Mato Grosso (AEEC-MT), o pré-lançamento da exposição multimídia ocorre às 19h no canal da Associação.

De acordo com a Associação, o produto destaca a resistência das mulheres ciganas de etnia Calon de comunidades de 3 municípios mato-grossenses: Cuiabá, Tangará da Serra e Rondonópolis.

De linhagem cigana que se estende há várias gerações vinda de Israel, Nilva mora em Rondonópolis (215 km ao Sul de Cuiabá) e atualmente não trabalha, mas atuou por muitos anos como assistente parlamentar e como cozinheira em instituições públicas e restaurantes. Com o tempo, parte da cultura cigana foi dando espaço aos costumes locais, mas ela ainda guarda costumes aprendidos com os ascendentes, como a medicina natural e a língua cigana.

“O dia nos deu mais visibilidade. Deu voz. Antes o cigano era excluído de tudo, não tinha direito de nada. Agora tem filho de ciganos que formaram na faculdade. Mas queremos projetos que deem oportunidades à comunidade cigana. Estamos batalhando para abrir nossa sede aqui em Rondonópolis para conseguir melhorias na qualidade de vida dos ciganos. Casa popular, bolsa estudo, trabalho honrado”, destaca a mulher.

O projeto

Conforme a Associação, o projeto premiou a raizeira e benzedeira Maria Divina Cabral, a Diva, como Mestra da Cultura Mato-grossense. E se desdobrou em vários produtos culturais transmidiáticos, como o I Encontro de Mulheres Ciganas de Mato Grosso, que ocorreu no último mês de abril; a web série “Diva e as Calins”, em edição; e a “Exposição Multimídia “Calin”.

No pré-lançamento realizado no dia 24, serão projetadas fotos destaque da exposição, bem como será exibido um primeiro teaser de lançamento da web série “Diva e as Calins”. A plataforma digital que ancorará as fotos, textos e gifs também será lançada durante a live.

A presidente da Associação, Fernanda Caiado, destaca a importância do projeto em dar visibilidade às mulheres ciganas e seu papel na constituição da família e perpetuação da cultura.

“Nós sabemos que devido às nossas mães, tias, avós, viajarem em barracas e os ciganos não terem muitas condições financeiras, quase não temos registros fotográficos das mulheres anteriores a nós. A exposição enche a gente de orgulho. Como presidente da associação e como mulher que participei, fiquei lisonjeada, maravilhada”, afirma a presidente.

Conforme a Associação, Calin é uma palavra de autoidentificação das mulheres ciganas do tronco étnico calon e no dialeto destes grupos significa “cigana”. Assim, o trabalho busca valorizar os saberes, tradições, costumes e filosofia romani, com foco principal nas vozes, olhares e narrativas de suas mulheres. ( Com informações da AEEC)

Folhamax