Cuiabá atende 400 famílias que vivem no aterro sanitário

A Prefeitura de Cuiabá –  por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Direitos Humanos e da Pessoa com Deficiência – desde o início da pandemia do coronavírus, em março de 2020, adotou uma série de medidas preventivas e de atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade social. Dentre os beneficiados com os serviços socioassistenciais, estão os trabalhadores do Aterro Sanitário.

Além da distribuição diária de refeições, a equipe especial de abordagem social entrega mensalmente mais de 400 benefícios eventuais (cestas básicas e kits de higiene). Essa ação de intensificação no atendimento à essas famílias, que sobrevivem dos recicláveis que são retirados, em cumprimento à uma decisão do Ministério Público, no mês de julho desse ano.
“Por ser um público rotativo, a cada mês esse número vem aumentando. Para se ter uma ideia, no final do mês de setembro, entregamos 350 benefícios. Já nesse mês de outubro, foram 408 famílias atendidas”, disse a coordenadora da Atenção Especial, Patrícia Arruda.

Alexandra da Silva, 54 anos, é uma das beneficiadas com o auxílio entregue pela Prefeitura. Ela que veio de Alagoas há cinco anos, e tira o seu sustento com o que consegue reciclar do aterro.  Após sofrer um acidente motociclístico, ficou impedida de atuar após ter fraturado a perna. “Sem essa ajuda da Prefeitura, não sei como seria, nem ao menos se estaria aqui nesse momento. Estou sem trabalhar para render o salário no final do mês. Só tenho a agradecer. Até agora não consegui resolver pra receber o auxílio doença”, contou dona Alexandra.

Martinha Fortunato Duarte da Silva, moradora do bairro Novo Paraíso, começou a trabalhar no aterro no mês passado. “O que a gente ganha aqui é pouco. Com essa entrega dos alimentos, conseguimos ficar mais tranquilo, tendo garantida a comida na mesa. Sou sozinha, perdi recentemente o meu esposo e agora sou só eu, Deus e vocês da Prefeitura”.

Além da entrega dos benefícios para as famílias que já foram cadastradas, a equipe atualiza o quantitativo com a entrada de novos cadastros. “A meta é atender o maior número de pessoas que dependem do poder público para subsistência. Fazemos com amor e por amor à essas famílias que vivem em extrema vulnerabilidade”, finalizou Patrícia.

A ação conta com a parceria do projeto Amor (Assistência Médica e Odontológica Rural),  da Secretaria Municipal de Saúde, na oferta de serviços essenciais como consultas e vacinas e da Defensoria Pública, que atua na atualização da documentação dessas pessoas.

De: Folhamax/e foto